Adolpho Konder – 1926 a 1930
Vice: Valmor Argemiro Ribeiro Branco

Adolfo Konder nasceu em Itajaí (SC) no dia 16 de fevereiro de 1884, filho de Marcos Konder e de Adelaide Flores Konder. Foi o quarto filho do casal, os outros foram Evelina, Arno, Victor, Marcos e a caçula Maria. A partir de seu pai, negociante de origem alemã e membro destacado do Partido Republicano Catarinense, a família Konder passou a exercer grande influência no estado, consolidada pela atuação de Adolfo e três de seus irmãos na vida pública. Vítor Konder foi deputado federal em 1920 e ministro da Viação e Obras Públicas do governo de Washington Luís (1926-1930).

Depois de fazer os primeiros estudos com o educador Stanke, de origem alemã, Adolfo Konder frequentou, entre 1892 e 1898, o Colégio Santo Antônio, em Blumenau (SC). Nesse último ano, começou a trabalhar na casa comercial dirigida por seus irmãos em Itajaí. De 1900 a 1903 cursou, em São Leopoldo (RS), o Ginásio Nossa Senhora da Conceição, e em seguida ingressou na Faculdade de Direito de São Paulo, pela qual se bacharelou em 1908.

Sua vida pública iniciou em Itajaí quando fundou e dirigiu o jornal O Novidades.

Iniciou suas atividades políticas em 1910 como secretário do Centro Civilista de Santa Catarina, trabalhando ao lado de Hercílio Luz em apoio à campanha de Rui Barbosa para as eleições presidenciais, vencidas por Hermes da Fonseca. Em 1913, interrompeu o exercício da advocacia para ingressar nos quadros do Ministério das Relações Exteriores, a convite do chanceler José Maria da Silva Paranhos Júnior, barão do Rio Branco. No Itamarati, ocupou os cargos de oficial da Secretaria de Estado e diretor do Bureau da Guerra. Com a eleição de Hercílio Luz para a presidência de Santa Catarina em 1918, em setembro desse ano foi nomeado secretário estadual da Fazenda, permanecendo no cargo até outubro de 1920. Nos dois anos seguintes, atuou na campanha de Artur Bernardes para a presidência da República, que sairia vitoriosa no pleito realizado em 1922.

Eleito deputado federal em 1921 na legenda do Partido Republicano Catarinense e reeleito em 1924, Adolfo Konder integrou a Comissão de Diplomacia e Tratados da Câmara, apresentando trabalhos sobre a construção de uma estrada de ferro entre São Francisco do Sul (SC) e Assunção, e um estudo sobre o tratado assinado em 1922 entre Brasil e Portugal. Considerado um dos membros mais ativos de seu partido, exerceu a liderança da bancada republicana de Santa Catarina na Câmara dos deputados em 1925 e 1926, ano em que foi eleito presidente do estado.

Em 02 de julho de 1929 foi nomeada a Comissão encarregada de dar parecer sobre a Reforma Constitucional, composta pelo deputados Artur Ferreira da Costa, Carlos Gomes de Oliveira, Álvaro Catão, Manoel da Nóbrega, Dorval Malchiades de Sousam Luiz Gallotti e Marcos Konder (irmão de Adolpho). Esta Constituição foi promulgada em 27 de julho de 1929.

Konder, em 1929, realizou viagem histórica ao ponto final do território catarinense, encontrando-se com Getúlio Vargas, então governador do Rio Grande do Sul. Viajou em lombo de cavalo e foi o primeiro governador a chegar ao Oeste catarinense. Ao chegar a Dionísio Cerqueira, fundou um escola, sediou um destacamento da Polícia Militar e nomeou um exator para a arrecadação de tributos.

Durante sua gestão, promoveu melhoramentos nos portos de Florianópolis, Itajaí e São Francisco do Sul, defendeu a indústria ervateira, disciplinou o comércio de pinho, promoveu a edição da legislação especial sobre reflorestamento, promoveu o I Congresso Estadual de Professores e o I Congresso Catarinense de Municípios, modernizou a Força Pública, abriu, entre outras, a estrada Joinville-Curitiba, realizou a drenagem do rio Cachoeira e estimulou a produção de trigo. Realizou ainda uma série de obras urbanas na capital do estado, como a construção do palácio da Justiça e do mercado municipal, e a complementação do acesso à ponte Hercílio Luz, que liga Florianópolis ao continente. Foi o primeiro governante catarinense a viajar, em caráter oficial, até a região fronteiriça com a Argentina.

Carreira Política

Governador do Estado de Santa Catarina, no período de 126 até 1930.

Deputado Federal por Santa Catarina em 1924.

Deputado Federal por Santa Catarina em 1921.

Secretário Estadual da Fazenda no período de setembro de 1918 até outubro de 1920.

Secretário do Centro Civilista de Santa Catarina em 1910.

Fontes: DIÁRIO CATARINENSE, Governadores de Santa Catarina 1739/1993, Florianópolis, Editora DC, 1993. p. 45.

Site: http://cpdoc.fgv.br/ acesso em 28 de setembro de 2016.